Reabilitação da ponte Rainha D. Amélia A ponte ferroviária Rainha D. Amélia, construída em 1903, tem uma extensão total de 840m e é constituída por 14 tramos de 60m cada. A superestrutura da ponte é constituída por duas vigas principais, carlingas, longarinas e estruturas de contraventamento. Os pilares e os encontros são de alvenaria aparelhada e assentam sobre cilindros metálicos preenchidos com pedra argamassada e fundados por “havage”.
 
Após desactivada foi, a pedido das populações locais, transformada em ponte rodoviária. 

A reabilitação e adaptação ao trânsito rodoviário consistiu, na decapagem de toda a estrutura, na sua limpeza e no tratamento das zonas corroídas seguindo-se uma pintura geral e a instalação, como pavimento da faixa de rodagem, de uma grelha de aço. Esta foi montada em painéis que apoiam nas longarinas através de aparelhos de apoio de neoprene cintado. 

Para aumentar a segurança das fundações, foi realizada a protecção dos pilares P4 a P7 que foram envolvidos com um enrocamento tronco-cónico até à cota zero. 

Os trabalhos de reabilitação foram concluídos em 2001.
X