Ponte sobre o rio Corgo  A ponte vence o vale do rio Corgo a 80m de altura com uma curvatura muito acentuada e vãos de grandes dimensões, resultando numa estrutura bastante esbelta, inserida no cenário espectacular das vinhas da região do Douro. É constituída por uma superestrutura contínua de cinco tramos, formada por dois tabuleiros paralelos afastados de 6m, em betão armado e pré-esforçado, tendo, na directriz, um comprimento de 625m. A curvatura da obra conjugada com o afastamento entre tabuleiros, resulta em comprimentos de vãos dos dois tabuleiros com diferenças de cerca de 5,5m, o que levou à adopção de comprimentos diferentes para as respectivas aduelas. Assim, os tabuleiros, em viga caixão, foram construídos por avanços sucessivos em consola por troços de 3,60m e 3,45m, betonados “in-situ”. Os pilares atingem os 70m de altura e têm secção rectangular oca, constante ao longo do fuste, com fundações directas em xistos. 

O projecto e a construção desta obra revestiram-se de particular interesse pela conjugação de métodos portugueses na realização de projectos com as metodologias e formas de trabalhar francesas. Partindo de um estudo sumário da Scetauroute / Jean Müller International, foram introduzidas as alterações e correcções aconselháveis contemplando equipamentos, tecnologia e métodos de construção franceses e adaptando a concepção de base às exigências impostas pela regulamentação portuguesa e, em certa medida, à nossa prática. Algumas das metodologias impostas, nomeadamente a pré-fabricação e pré-montagem das armaduras, bem como a betonagem “a balde”, resultaram na necessidade de recorrer a gruas de grande porte (foram utilizadas as três maiores gruas até então instaladas em Portugal). 

A construção da obra iniciou-se em finais de 2001, tendo a obra sido concluída em Março de 2004.
X